Resenha – Guerra Justa

Resenha – Guerra Justa

guerra justa, livro, carlos orsi, resenha, autor, fé, ciência

Guerra Justa me surpreendeu bastante.

Por ser um livro escrito por alguém ligado a ciência e, principalmente, por envolver em seu enredo religiosos e cientistas propriamente ditos, desde o começo esperei encontrar reflexões e debates sobre fé e razão. Sobre visões diferentes de ditas verdades ou de um mesmo cenário.

Mas o que encontrei, entretanto, superou em muito as minhas expectativas.

Ao longo das 150 páginas de seu título, dotadas de uma leitura rápida, capítulos curtos e variados pontos de vista, Carlos Orsi nos apresenta um universo próprio, repleto de novos conceitos. Aqui, por exemplo, a ciência está mais para irmã da religião do que opositora, validando verdades usadas pela 5a Revelação para prever o futuro e, assim, “dominar” o mundo.

Do mesmo modo, religiosos se vêem livres do moralismo das principais crenças atuais e a tecnológica é capaz de feitos incríveis. De inacreditáveis avanços no setor médico ao desenvolvimento de uma coroa que permite rastreio, comunicação e, por que não?, “habilidades especiais”. Uma realidade criativa, fascinante e em muito curiosa.

Como todo bom livro de ficção científica deveria ser, alias.

Mais do que isso, “Guerra Justa” aproveita o melhor de seu gênero para trabalhar metáforas em sua ficção. Como a vida seria se pudéssemos prever o futuro? Utilizaríamos isso para o bem o para o mal? Até onde devemos permitir que a tecnologia avance? Sob qual custo?

Personagens diferentes aprendem, mudam de opinião, sabotam uns aos outros e morrem para responder essas perguntas. Para descobrir, enfim, que fé e ciência, ao criar verdades, podem ser igualmente perigosas e usadas como ferramentas de controle.

Que sejam, afinal, lados diferentes de uma mesma e imprevisível moeda.

Tente a sorte!

Autor:

Publicitário e administrador por formação, viciado em livros e um músico mal-compreendido pelos amigos. Responsável pela sessão literária do Lokotopia e pelo LivroCast. Tenta ser sempre eclético e levar todos ao fantástico mundo da literatura. Twitter, Facebook e Google+.

aba-share
aba-comentarios