Resenha – Coisas Frágeis de Neil Gaiman

Resenha – Coisas Frágeis de Neil Gaiman

Neil Gaiman tem vários universos dentro de si. Quando não aparecem em forma de livros, quadrinhos e roteiros, esses universos viram presentes de aniversário, ajudam a compor projetos de outros artistas, e acabam como textos espalhados por aí – graças aos pedidos de amigos e claro, de seu editor. Outras vezes são rascunhos espontâneos de sua mente inquieta de escritor.

Foi assim que surgiu Coisas Frágeis, uma coletânea de contos e poemas, que uma vez reunidos, mostram a diversidade de histórias e personagens que habitam a mente de Gaiman. São dois volumes com textos curtos, que envolvem o leitor graças aos personagens e cenários intrigantes.

Resenha – Coisas Frágeis de Neil Gaiman.

O título “Coisas Frágeis” não remete a nenhum conto em específico, mas sobre todos eles, ou melhor, sobre todas as coisas, sonhos e corações que podem ser despedaçados. A ideia inicial surgiu através de palavras em um sonho: “Acho… que prefiro me lembrar de uma vida desperdiçada com coisas frágeis, a uma vida gasta evitando a dívida moral”, como o próprio explica.

Gaiman aproveitou a introdução para contextualizar cada um dos textos. Isso é muito interessante, principalmente porque alguns deles são releituras de obras como Sherlock Holmes e Nárnia. Esse é um ponto que pode trazer problemas ao leitor despreparado, correndo o risco de perder referências importantes.

Mas outras são belas surpresas, como é o caso do conto “O monarca do vale” no Volume 1, que explora o universo de Deuses Americanos, outro livro do autor.

O primeiro volume é composto essencialmente por contos, enquanto ao Coisas Frágeis 2 são acrescentados alguns poemas. É interessante ressaltar que eles não estão conectados de forma alguma, portanto não é preciso seguir uma ordem exata de leitura.

É uma ótima leitura pra quem já é fã do escritor e para todos aqueles que gostam de saborear sem muito compromisso contos de suspense, mistério e fantasia, típicos do universo criativo de Neil Gaiman.

Autor:

Louco por definição, formando em Comunicação Social Publicidade e Propaganda, músico, compositor, blogueiro, nerd, geek, esposo da @eericarocha, pai da tartaruga tigre d'agua Trash, da salsicha Punk, do boxer Rocky e Atendimento e Planejamento na @lets_talk. Twitter, Facebook e Google+.

aba-share
aba-comentarios