LivroCast 071 – A Estrada

LivroCast 071 – A Estrada

a estrada, podcast, livrocast, livro, filme, autor, cormac mccarthy, adaptação, pos-apocalipse, canibalismo, terror, esperança, morte, fome, sobrevivencia:: É recomendado o uso de fones para se ouvir este episódio ::

Sejam todos muito bem-vindos ao LivroCast de número setenta e um. No podcast de hoje, Marcelo Zaniolo (@celo_zaniolo), Rodrigo Rahmati (@rodrahmati), Jean Milezzi (@jeanmilezzi) e Diego Lokow (@Lokow) se reúnem para falar sobre o "A Estrada", de Cormac McCarthy. Um livro vencedor do prêmio Pulitzer e adaptado aos cinemas.

No LivroCast 071: Quem é o autor, o que mais ele escreve, de onde veio a ideia deste livro, esperança, simbolismo, interpretações, Coca-Cola e muito mais.

Tratamento e Decupagem dos Áudios: Luís Beber.

Edição e Revisão: Marcelo Zaniolo.

Tempo de Duração: 66 minutos.

Seja um Patrão do LivroCast

Compre o Livro Comentado no Episódio de Hoje

Comentados no Programa 

Trilha Sonora do Episódio:

  • Trilha Sonora Oficial do filme "A Estrada"
  • Audioslave - Light My Way
  • Audioslave - I am the Highway

Críticas, Sugestões e Dúvidas

  • E-mail: livrocast@lokotopia.com.br
  • Twitter: @LivroCast

LivroCast no Facebook:

Outros Links:

Informações Sobre o Episódio

Aperte o play no topo da página para ouvir o LivroCast ou clique com o botão direito em download e escolha a opção “Salvar Destino Como” para baixá-lo em seu computador.

Autor:

Publicitário e administrador por formação, viciado em livros e um músico mal-compreendido pelos amigos. Responsável pela sessão literária do Lokotopia e pelo LivroCast. Tenta ser sempre eclético e levar todos ao fantástico mundo da literatura. Twitter, Facebook e Google+.

aba-share
aba-comentarios
  • King Buddy Holly

    Muito obrigado a equipe do Livrocast por trazer The Road como tema! Concordo inteiramente com a equipe a respeito das emoções que está leitura agrega, do misto de desespero e esperança, de amor familiar e luta por sobrevivência.

    Sou um fã do Cormac McCarthy e The Road é, na minha opinião, a sua obra-prima! Mais uma vez agradeço a equipe pelo debate do tema, e, deixo uma teoria com SPOILER:

    SPOILER 1.

    O mundo possivelmente foi destruído por uma hecatombe nuclear:
    “…Os relógios pararam à lhl7. Um longo clarão e depois uma série de pequenos abalos. Ele se levantou e foi até a janela. O que foi? ela disse. Ele não respondeu. Foi até o banheiro e ligou o interruptor mas a energia já se fora. Um
    brilho opaco e rosado no vidro da janela…”

    Possivelmente o mundo foi destruído por explosões nucleares e o pulsos eletromagnéticos destruíram os circuitos dos relógios, sendo após o PEM observado uma luz rósea da própria explosão.

    abraços do amigo KING e continuem com o excelente trabalho!

    • LivroCast

      Grande King, nós é que te agrademos por mais uma vez nos ouvir e comentar, amigo. E que bom que acertamos no livro E no autor! Hehe… Mas deixa eu comentar aqui sobre seu spoiler 1:
      .
      .
      .
      .
      .
      .
      .
      .
      .
      .
      .
      .
      .
      .
      .
      .
      .
      .
      .
      .
      .
      Concordo plenamente. Até o fato dos vilões usarem máscaras de gás faz coro a esta possibilidade. Estou contigo! Hahaha… Um abraço! o/

  • King Buddy Holly

    Uma outra questão;

    Mais alguém ficou com a sensação que o menino na verdade era uma menina? E que o pai preferiu ocultar essa informação por pensar que uma mulher teria mais dificuldade de sobreviver naquele mundo?

    O tratamento cedido pelo filho (o nomeando de pai) é comum, mas o oposto com o tratamento exclusivo por menino – sem nunca revelar um nome deixou essa questão em aberto para mim, o que foi ainda mais alicerceado na cena da cachoeira.

    O que os podcasters e ouvintes acham?

    • Jean Milezzi

      Oi King, tudo certo?

      Que bom achar mais um admirador dessa obra. Eu também tinha reparado nessa parte que você destacou sobre o que aconteceu e concordo com a tua teoria. Na minha opinião, o autor não deixou claro o que aconteceu para que o leitor se sinta tão perdido quanto o personagem. Imagina se acontece na vida real, um clarão e nada mais funciona, não há energia, tv, celular, computadores… como a gente ficaria sabendo o que aconteceu realmente (isso, se sobreviver)?

      Sobre a segunda teoria, confesso que nunca tinha pensado nisso. Acho que aquele mundo seria hostil para qualquer um, independente do gênero.

      Um prazer conversar sobre The Road, se tiver mais teorias, manda aí. Uma pergunta pra você: também ficou de ressaca depois de ler? hahaha

      Abraço

      • King Buddy Holly

        Tive uma ressaca imensa! E isso aconteceu apenas outra vez, com o filme Martyres (Goetz);

        mas falando sobre teorias – a alguns anos li essas duas teorias que o menino havia sofrido ou que sofria com abusos do pai, sendo esta com pouco embasamento, e uma segunda que eu considero a mais incrível e completa de todas, que na verdade o homem que o menino encontra é uma projeção dele mesmo, um veterano de inúmeras guerras, e que a mulher comentada (a mulher que reza) é na verdade sua esposa – o que renova a esperança do mundo principalmente com o texto sobre as trutas com cores e cheiros e lugares onde o mundo ainda era misterioso .

        abraços do K!

        • LivroCast

          Acabei lendo e… QUE LOUCURA! Hahahaha… Duas teorias loucas e que não me parecem lá muito reais. Mas a história de “A Estrada” é foda por isso: pouca coisa acontece, mas temos sempre MUITO a debater. Um abraço! o/

    • LivroCast

      Agora, sobre o spoiler 2 (e desculpe a demora em responder):
      .
      .
      .
      .
      .
      .
      .
      .
      .
      .
      .
      .
      .
      .
      .
      .
      .
      .
      .
      .
      .
      .
      Entendo, mas não sei se concordo plenamente desta vez. Acho que o fato de não termos nomes não é pelo costume de chamarmos um ao outro de pai, mão ou filho, mas sim pelo que o Jean comentou no cast: eles perderam a humanidade, perderam seus nomes, são apenas dois sobreviventes. E ninguém mais. MAAAAAAAAAASSS, tive a impressão no INÍCIO DO FILME (da primeira vez que o assisti) de que realmente poderia ser uma menina. Isso me deu calafrios durante o filme, inclusive. Mas não se repetiu na leitura do livro e nem na segunda vez em que vi o filme! Hehe… Mas acho válido o questionmaneto. Um abraço e mais uma vez MUITO OBRIGADO pelo comentário! o/

  • Fabio Ewerton

    Olá galerinha, to começando um podcast agora com o tema de leitura de livros, achei muito bacana o conteúdo de vocês e vou acompanhar.

    • LivroCast

      Fala, Fabio, tudo certo? Obrigado por nos ouvir e comentar, amigo. Fico contente que tenhas gostado. E sério? Qual o nome? Passa o link pra gente! Um abraço e boas gravações! o/